quinta-feira, 17 de março de 2011

De volta ao caos

Antes de mais nada, o estar de volta é o mesmo que sempre estar presente.
Um vez que estive virtual aqui na atualização da internet. O caos é assim, sempre em potência, sempre virtual, sempre próximo. Ou melhor junto e misturado.

Nunca soube no que isto iria parar, já falaram de Rimbaud, de miudezas epistemológicas, enquanto o que gostaria de ressoar era intensamente e puramente o nada. O nada das palavras, das imagens, o vazio cheio de dinâmicas do caos, das poesias rimadas de coisas concretas, dos antagonismos, das ambivalências e descuidos...dos erros e acertos das verdades e (in)verdades, de potências falsos.
Continuarei assim...vez ou outra, sempre imagens!

Dica: http://vimeo.com/5699400

Nenhum comentário:

Postar um comentário